Uso excessivo de celular pode causar problemas de coluna

Descritas como tech neck, tais complicações são dores cervicais relacionadas ao mau posicionamento da cabeça ao usar o celular.

O número de consultas médicas aumentou cerca de 40% nos últimos anos, principalmente entre pacientes jovens, com queixa de dor cervical. Tipicamente, a incidência dessa queixa aumenta com a idade, mas cada vez mais jovens têm relatado esse desconforto nos consultórios.

A postura correta é fundamental para evitar o problema. A nossa coluna vertebral apresenta curvaturas fisiológicas em cada nível. Temos a lordose cervical, a cifose torácica e a lordose lombar, dando à coluna o aspecto da letra ‘S’. Essa anatomia é muito importante para suportar e distribuir as cargas de forças que são aplicadas à coluna diariamente.

Os músculos do pescoço são designados para suportar o peso da cabeça, que, no ser humano, pesa em média 4,5 a 5,5 quilos. Nem o pescoço nem os ombros estão adaptados para sustentar esse peso durante longos períodos com a cabeça inclinada para frente.

As forças exercidas sobre a coluna cervical são variáveis de acordo com a posição da cabeça. Na posição neutra, ou seja, com zero grau de angulação (como uma pessoa olhando na linha do horizonte), temos uma carga na coluna de cerca de 26 quilos e, à medida que essa angulação aumenta, a força aumenta. Na angulação de cerca de 60 graus – posição em que as pessoas usam o smartphone – a força pode chegar a 132 quilos, alterando a curvatura natural do pescoço.

Levando em conta que uma pessoa usa o smartphone por cerca de duas a quatro horas por dia com a cabeça baixa, a somatória de um ano corresponde de 700 horas a 1.400 horas de excesso de estresse sobre a coluna cervical.

Sintomas

Se você sente constantes dores de cabeça, um couro cabeludo extremamente sensível ou um incômodo atrás de um olho, a culpa pode estar no uso indevido do smartphone.

Esse problema pode se agravar e, em alguns casos, pode levar a uma condição conhecida como nevralgia occipital.

É uma condição neurológica em que os nervos occipitais – que vão do topo da medula espinhal até o couro cabeludo – ficam inflamados ou lesionados. Ela pode ser confundida com dores de cabeça ou enxaqueca.

 

Você tende a ter esse problema quando usa muito tablets, laptops ou smartphones. Você começa a sentir uma tensão na parte da frente do pescoço e uma fraqueza na parte de trás dele.”

A dor pode ser intensa, como se o pescoço estivesse “queimando”, e começa na base da cabeça, se estendendo por toda a parte superior, no couro cabeludo.

Geralmente, as dores começam na parte de trás da cabeça, no nervo occipital, mas às vezes elas ficam localizadas mais na parte da frente, acima dos olhos.

Dores

Você pode sentir a dor em um dos lados da cabeça ou nos dois, e até atrás dos olhos quando movimenta o pescoço. O conselho para curar o problema é mudar de postura na hora de mexer no celular – e evitar o uso excessivo dele.

“Como se alguém tivesse me golpeado na cabeça com um cano de aço quente enviando raios de dores lancinantes no crânio”

Tratamentos

O tratamento inclui correção de postura, massagem e remédios anti-inflamatórios, mas em alguns casos é preciso tomar medidas mais drásticas.

Médicos também podem receitar relaxantes musculares, antidepressivos.

Especialistas dizem que a prevenção é a melhor opção. Diminuir o uso de smartphones ou então posicioná-los mais próximo da altura dos olhos são boas estratégias para evitar o problema.

“Tente não manter a mesma postura por muito tempo”, disse a fisioterapeuta Priya Dasoju.

“Coloque um lembrete no celular ou no computador para se certificar de que você não está na mesma posição por muitos minutos consecutivos.”

Os médicos garantem que as condições causadas por uso excessivo de smartphones são apenas dolorosas, não fatais.

A palavra de um profissional

O ortopedista Luciano Temporal ensina que é necessário ter muita atenção com a postura corporal durante o uso desses aparelhos. “Quando estamos sentados devemos apoiar os cotovelos sobre uma superfície e colocar o telefone à nossa frente sem abaixar a cabeça, deixando a mesma numa posição neutra”, orienta. Entretanto, o especialista adverte que a medida apenas minimiza os problemas. “Nunca deixamos de correr riscos, até porque nossa atenção está voltada muito mais para o celular do que para nossa postura”, alerta.

Uma dica para evitar lesões é sempre fazer alongamentos nas áreas mais sobrecarregadas durante a utilização dos celulares. Outra orientação é evitar longos períodos usando o celular – ou fazer intervalos, se isso for preciso. Em caso de lesões já detectadas, é possível tratá-las através da manipulação muscular (técnica em que os fisioterapeutas utilizam as mãos), alongamentos, RPG (Reeducação Postural Global), ou exercícios para fortalecer e alongar a musculatura corporal.

Conscientizar crianças pode evitar problemas no futuro

Engana-se quem pensa que os riscos estão presentes apenas na vida adulta. Ganhando celulares cada vez mais cedo, as crianças ficam expostas precocemente aos problemas causados pelo uso excessivo dos aparelhos. A auditora da Prefeitura do Recife Margarida Campello, mãe de Letícia, já se preocupa com a postura da filha quando ela está no celular ou tablet. Para evitar complicações, procurou uma clínica de fisioterapia para realizar uma reeducação na postura da menina.

 

Confiram um vídeo publicado sobre o assunto pelo Olhar Digital


 

Fontes: Bem Estar / Saúde do Meio / Olhar Digital / Diário de Pernambuco

The following two tabs change content below.
Alexandre Queiroz é Carioca legítimo,amante de sua cidade (Rio de Janeiro), muito bem casado, amante de novas Tecnologias, Música Eletrônica, Carros, Viajar, Cachorros e etc. Este site/blog é utilizado somente para compartilhar notícias, guardar soluções próprias, dicas e sem fins lucrativos... É utilizado como hobbie e para armazenar conhecimento.

Latest posts by Alexandre Queiroz (see all)

Compartilhe: