No início desta semana, o YouTube anunciou discretamente uma mudança na política de tratamento de vídeos voltados para menores e crianças pequenas. A plataforma de vídeo diz que agora removerá todo o conteúdo que contiver temas “violentos” ou “maduros” se for segmentado para crianças, seja pelo título do vídeo, sua descrição ou as tags associadas.

No futuro, o YouTube diz que esse tipo de conteúdo “não será mais permitido na plataforma”. Antes dessa alteração, o YouTube restringia a idade desses vídeos, mas agora está indo um passo além para ajudar a limpar a plataforma e torná-la uma lugar mais seguro para as crianças, em meio a intenso escrutínio regulatório e crítica ininterrupta de sua liderança executiva.

A mudança de política foi anunciada há dois dias, mas foi feita em um fórum da comunidade de Ajuda do YouTube e parece ter passado despercebida, com a postagem acumulando apenas 20 respostas e pouca cobertura de notícias. O YouTube diz que vai começar a reforçar a aplicação desta nova política nos próximos 30 dias, para dar aos criadores uma chance de se familiarizar com as novas regras.

Em seu editor de vídeos, o Youtube já vinha perguntando se no vídeo contem conteúdo com crianças e se tem restrição de idade.

Como parte desse processo, o YouTube diz que removerá vídeos que violam a política, mas não dará greves aos canais até que o período de 30 dias termine. 

O YouTube diz que não distribuirá avisos para vídeos enviados antes da mudança de política, mas ainda se reserva o direito de remover esses vídeos. 

O YouTube recomenda que os criadores de conteúdo verifiquem as diretrizes do YouTube Kids se quiserem alcançar especificamente as crianças com seus vídeos e também recomendam que os criadores de conteúdo tenham certeza de que suas descrições e tags estejam direcionando o público certo para evitar serem impedidos. 

O YouTube também diz que restringirá a idade mais conteúdo que pode ser confundido como amigável para crianças, como desenhos animados para adultos.

O YouTube oferece alguns exemplos de conteúdo ofensivo, como vídeos marcados como “para crianças”, que apresentam desenhos familiares que envolvem atividades violentas ou perturbadoras, como “injetar agulhas”. O YouTube também alerta sobre o conteúdo de rimas que abordam temas maduros como sexo, violência e morte.

Apesar do YouTube criar um aplicativo amigo das crianças, o YouTube Kids, com o único propósito de criar um local seguro para os pais enviarem seus filhos pela Internet, a empresa tem sido criticada por não abordar as inúmeras atividades de boom de conteúdo para crianças. 

Antes da edição de pedofilia deste ano, o YouTube enfrentava controvérsias como Elsagate , onde criadores de conteúdo anônimos e difíceis de acompanhar no exterior faziam vídeos perturbadores e violadores de direitos autorais com versões distorcidas de personagens da Disney e da Marvel.

Fonte: The Verge – Acessado em 29/08/2019

The following two tabs change content below.
Alexandre Queiroz é Carioca legítimo,amante de sua cidade (Rio de Janeiro), muito bem casado, amante de novas Tecnologias, Música Eletrônica, Carros, Viajar, Cachorros e etc. Este site/blog é utilizado somente para compartilhar notícias, guardar soluções próprias, dicas e sem fins lucrativos... É utilizado como hobbie e para armazenar conhecimento.